O Grupo

Um espaço de construção de saberes e afetos através das artes. Onde podemos, juntamente com as crianças, pensar e construir culturas da infância. Nosso grupo é formado por profissionais das artes que decidiram se especializar no trabalho com crianças e adolescentes.  Oferecemos cursos de teatro, musicalização, fotografia, canto, circo e desenvolvemos alguns projetos especiais, como o Quintal do Teca – tardes de brincadeiras, Saraus Papos Poéticos para a Infância e Juventude e Passeios Culturais.

Além disso, o grupo TECA também atua no circuito profissional do país, com montagens de espetáculos, na dramaturgia e no audiovisual. Nossa pesquisa enquanto artistas e acadêmicos está diretamente ligada ao “estado de infância” que buscamos no momento da criação. Reside no brincar, na imaginação criativa, as sementes da teatralidade. Nossa relação com as crianças do TECA é de troca e aprendizado. Alimentamos-nos muito enquanto artistas, ao observá-las vivenciarem plenamente suas infâncias.

Artes integradas para crianças e adolescentes.

Artes integradas para crianças e adolescentes.

Nesse processo de troca também podemos constatar o quanto o teatro e todas as artes podem enriquecer a vida da criança e colaborar grandemente para o seu processo de formação. Crianças que entram em contato com a arte, fazendo ou assistindo, se tornam adultos mais sensíveis, sociáveis, enfrentam de forma mais positiva conflitos relacionais ou de timidez, melhoram a expressão oral e a interpretação de textos, aprendem a conviver em grupo, a solidariedade, a compaixão. Muitas vezes, nas aulas de teatro, vivenciamos o microcosmo da vida social. Deparamos-nos com questões que todos precisam resolver juntos. Fazer teatro é aprender sobre a humanidade.

Foto: Alessandra Novais

DE SOL, DE CÉU E DE LUA

 

Quer saber mais? Leia abaixo o histórico do grupo!

Sua primeira investida profissional foi em 2000 com a montagem da comédia clássica de 411a.C Lisístrata ou A Greve de Sexo, do comediógrafo grego Aristófanes, quando se autonomeavam de Cia. do Sonho.

No ano seguinte, quando a Trupe do Cordel tomou lugar da Cia do Sonho, participaram e produziram o espetáculo Isto é Bom Demais! Comédia musical de cordéis e lundus, que ficou em cartaz por dois anos entre capital e interior do estado da Bahia e visto por 20.000 pessoas e deu o Prêmio Braskem de Teatro de Melhor Atriz Coadjuvante a Luciana Comin de 2002.

Em 2003, já como Cia. Ziriguidum Borogodó de Teatro criaram e produziram um espetáculo adaptado da literatura de cordel para crianças: Quem Conto Canta Cordel Encanta, que deu pela primeira vez ao grupo o prêmio máximo do teatro da Bahia: o Prêmio Braskem de Teatro de Melhor Espetáculo Infanto-juvenil de 2004.Esse espetáculo foi visto por um público estimado de 36.000 pessoas.

Participaram ativamente da fundação a Cooperativa Baiana de Teatro em 2004 e da qual ficaram afiliados até o início de 2012.

Ainda em 2004, fez uma curta temporada do auto natalino: O Baile do Menino Deus, para o projeto Pelourinho Dia e Noite, na Praça Pedro Arcanjo para uma média de 4000 expectadores.

Em 2005, montou especialmente para escolas do Ensino Fundamental, o espetáculo Salvador, Cidade de Encantos e Magia ou O Trio da História, em parceria com a produtora Ponto Final. A peça, que passa em revista a história da fundação da cidade de Salvador desde a sua fundação até os dias atuais, estima-se que foi vista por quase 20.000 estudantes da rede pública e privada da cidade em apenas duas temporadas curtas de um mês cada.

Pra Não Esquecer de Mim é o primeiro espetáculo juvenil da Cia Ziriguidum Borogodó de Teatro. Venceu o Prêmio Braskem de Teatro na categoria Melhor Texto de 2006 para autora Luciana Comin. Neste mesmo ano, a então Cia Ziriguidum Borogodó de Teatro estreou Ora, Bolas! este que é o quarto espetáculo infantil do grupo, foi indicado para o Prêmio Braskem de Teatro de 2006 em duas categorias: Melhor Texto e Melhor
Espetáculo Infanto-Juvenil, vencendo nessa última categoria.O espetáculo tem as músicas do grupo Palavra Cantada rearranjadas por Ilma Nascimento e cujo o canto é executado ao vivo pelo atores que também desenvolvem coreografias e manipulam bonecos.

Pedro e a Cobra de Fogo venceu o Prêmio FUNARTE/ Myrian Muniz de Teatro e estreou em 2007. Por este espetáculo a Cia. obteve quatro indicações ao Prêmio Braskem de Teatro nas categorias: Melhor Cenário, Melhor Diretor, Melhor Texto e Melhor Espetáculo Infanto-juvenil, vencendo nestas duas últimas categorias.

Em agosto de 2007 a Cia Ziriguidum Borogodó de Teatro ganhou o Prêmio Carlos Petrovich para executar um projeto de formação teatral na área de teatro de animação no Subúrbio Ferroviário de Salvador, no centro Cultural de Plataforma.

Ainda em 2007 a Cia. Ziriguidum Borogodó de Teatro tornou-se Ziriguidois & Cia e montou seu primeiro espetáculo na técnica do palhaço Palharia, Palhaço, Palhaçaria. Este espetáculo ficou em cartaz por dois anos em teatros e praças de Salvador, Bahia e no interior do Estado. Venceu o Prêmio FUNARTE Myriam Muniz de manutenção de espetáculos em 2008.

Neste mesmo ano, montou graças (mais uma vez) ao Prêmio FUNARTE/ Myriam Muniz, o espetáculo para o público adulto Sobre flores no asfalto quente. Entre 2009 e 2011, Marconi Araponga se retirou da cena profissional para se dedicar ao Mestrado em Artes Cênicas pelo Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas PPGAC/ UFBA. Nesse tempo decidiu, juntamente com Luciana Comin, alterar definitivamente o nome da Ziriguidois & Cia para Grupo Teca Teatro, sendo o Teca uma sigla para teatro para crianças e adolescentes.

Nesse meio tempo Luciana Comin venceu, em primeiro lugar o concurso de criação de textos dramatúrgicos promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB pelo projeto de texto teatral adulto Céu de Maracangalha. Marconi Araponga também venceu editais públicos do Fundo de Cultura da Bahia – FUNCULTURA e o Prêmio Patativa do Assaré de Literatura de Cordel, ambos de 2010 e que se concentram na formação para a cena teatral no que tange ao trabalho dos atores e atrizes, sua área de pesquisa no mestrado.

Em 2011 o Teca Teatro estreia seu primeiro espetáculo voltado para o público bebê e crianças da chamada Primeira Infância: De sol, de céu e de lua – teatro para bebês e crianças até 100 anos. Em 2012 chega de modo marcante, pois o casal Marconi Araponga e Luciana Comin (casados na vida e na arte) consegue abrir seu ateliê de teatro voltado exclusivamente para o público bebê, infantil e adolescente com cursos e espetáculos com (e para) crianças. O primeiro construído nesse espaço também marca a retomada de Marconi Araponga da pesquisa na técnica do palhaço, sobretudo a apropriação dos números tradicionais da arte clownesca e cria o espetáculo Tóin, óin, óin.

Neste ano de 2012 Luciana Comin passa a se dedicar também ao mestrado em artes cênicas e em sua pesquisa na área de dramaturgia, história e recepção propõe um estudo sobre a narrativa transmídia de um produto voltado para o público infanto-juvenil: Os Vanguardas.

2013 foi um ano muito produtivo para o Teca Teatro: a realização da primeira edição do FESTECA Festival de Arte e Cultura das Infâncias e Juventudes, com a estreia de nada menos do que cinco espetáculos com elenco exclusivamente de crianças entre 06 e 17 anos. Em sua primeira edição, o FESTECA ressaltou os saberes e fazeres voltados para o público-alvo, refletindo e produzindo informações, conhecimentos teóricos e práticos através das diversas experiências artísticas com (e para) crianças ao longo de 04 dias de evento (de 23 a 27 de julho de 2013 – exceto 26/07), no Teatro Eva Herz, da Livraria Cultura de Salvador, no qual se posicionou numa discussão sobre a inclusão do pensamento estético e a expressão poética na formação de menores.

O FESTECA tem periodicidade anual e deve ser ampliado gradativamente para o âmbito territorial, estadual, nacional até que possa atingir experiências internacionais, sempre no intuito de ampliar os diálogos e trazer para o solo baiano as melhores experiências de arte com (e para) crianças – desde bebês – até a adolescência.

Em 2014 o Grupo Teca Teatro realizou, com o patrocínio da Secretaria de Cultura do Estado, através do FUNCULTURA-BA, os Saraus Papos Poéticos para a Infância e Juventude, que contou com 09 apresentações de três diferentes saraus que homenageavam 3 dos mais importantes poetas brasileiros: Cecília Meireles (Palavras e Pétalas), Manoel de
Barros (Exercícios de ser criança) e Vinícius de Morais (O Poetinha). Estas apresentações ocorreram e 4 centros culturais do Estado. Entre novembro e dezembro de 2014 o FESTECA foi realizado em parceria com o Teatro Sesi – Rio Vermelho e contou com a apresentação de 8 espetáculos, dos quais 3 profissionais e um internacional, além de uma série de leituras dramáticas voltadas para o tema da infância com o Grupo de dramaturgos Birosca.

Em seguida, colocou em cena um nove espetáculo juvenil chamado Atualmente Indefinido, que contou com a presença de um elenco de 12 atores e atrizes adolescentes formados pelo Grupo. Em 2015, o grupo aprovou a montagem de O Mundo de Dentro no edital Arte em Toda Parte, da Prefeitura Municipal de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos. Foram 17 apresentações gratuitas ocorridas no Palacete das Artes de Salvador, de maneira itinerante pelos jardins do Museu.

No segundo semestre de 2015, o Grupo cria a banda DiscoTeca com o show Rock in Family, trazendo à cena o rock de décadas anteriores (com ênfase na década de 80) em performances teatrais envolvendo Marconi Araponga, Luciana Comin e, a estreia profissional da filha do casal e membro do grupo desde seu nascimento, Zizi Comin.

Na semana da criança, entre 11 e 18 de outubro o Grupo Teca Teatro realizará com recursos próprios o FESTECA ano III, ocupando 3 teatros, com uma programação composta por 12 espetáculos 7 oficinas e debates sobre arte na primeira infância e o teatro juvenil. Pretende atingir o público estimado de 4000 pessoas. A banda DiscoTeca com o objetivo de ampliar seu repertório musical e atender ao público infantil de maneira integral, a banda inicia a criação do seu segundo espetáculo: Televisão para Criança, que discute a trajetória dos programas televisivos infantis desde os tempos da vovó até os dias atuais, destacando os avanços e retrocessos, sobretudo no que se refere ao consumismo para a faixa-etária, entremeada de canções, jingles famosos e vinhetas de abertura de séries animadas.

Em 2016 o Grupo Teca Teatro assumiu a gestão do Teatro Molière. No mês de abril de 2016, o Grupo Teca Teatro voltou à cena com os espetáculos De sol de céu e de lua, em comemoração aos 4 anos da estreia e 80 apresentações, e o
espetáculo adolescente Por um Like, com o grupo Atualmente Indefinido – composto por alunos adolescentes que reside no Teatro Molière, sob sua gestão que teve a direção, dramaturgia e produção realizada pelo Grupo Teca Teatro.

Em agosto e setembro abrigou espetáculos do FILTE, Festival Internacional de Teatro Latino Americano.

Em Setembro, em comemoração do mês da diversidade o Grupo Teca Teatro Uniuse ao coletivo de artistas transformistas Haus of Gloom e criou o espetáculo O Cordel de Maria Cindragrela, que até o momento já fez 30 apresentações, sendo nomeado a melhor espetáculo infantojuvenil daquele ano pelo Prêmio Braskem de Teatro.

Em novembro realizou o IV FESTECA, que contou com espetáculos estudantis e a mostra profissional composta por espetáculos de repertório do Grupo além de espetáculos convidados do Rio de Janeiro e da cidade de Itaberaba-Ba e do musical Toada Crianceira, do grupo musical Canastra Real.

Nesta mesma ocasião, Luciana Comin, uma das artistas gestoras do Grupo Teca Teatro, teve aprovado um projeto de âmbito nacional que se refere ao desenvolvimento de sua pesquisa acadêmica de doutorado que se refere à criação de uma dramaturgia complexa para crianças plasmada num projeto de animação cartunesca: Os Vanguardas tornou-se, finalmente, um produto audiovisual e encontra-se neste momento em plena fase de desenvolvimento.

Este ano o balanço do Teatro Molière – e o Grupo Teca Teatro – é que realizaram e/ou abrigaram mais de 80 eventos (inclusive internacionais) entre espetáculos de dança, teatro, circo, música, palestras e debates, lançamentos, exposições, eventos fechados para escolas, associações médicas, culturais, de línguas e consulados.

Em 2017 o Grupo estreou seu primeiro espetáculo clássico adaptado para a infância: Com o Rei na Barriga. Molière em seu O Burguês Ridículo atualizado e trazido à cena pela totalidade do grupo que pela primeira vez estava todinho em cena com todos os seus 12 membros. Este espetáculo até então, realizou 24 apresentações e foi nomeado em duas categorias ao Prêmio Braskem de Teatro: Melhor Infantojuvenil e Maquiagem e Cabelos do ano de 2017.

Em Novembro o FESTECA ano V fixou-se nas mostras estudantis e a mostrra profissional ficou totalmente à cargo dos espetáculos de repertório do Grupo Teca Teatro, que trouxe à cena, nada menos que quatro espetáculos para serem apresentados ao público. Outro importante detalhe deste ano foi a valorização da crítica com debates envolvendo temas tabus para a infância com o Núcleo de Estudos para a Infância da UFRB, o CRICA e também com a palestra “Pecinha é a vovozinha” do autor, jornalista e crítico para o teatro infantojuvenil, o paulista Dib Carneiro Neto.

Este ano de 2017 o balanço do Teatro Molière – e o Grupo Teca Teatro – é que realizaram e/ou abrigaram mais de 100 eventos (inclusive internacionais) entre espetáculos de dança, teatro, circo, música, palestras e debates, lançamentos, exposições, eventos fechados para escolas, associações médicas, culturais, de línguas e consulados.

Em 2018, o Grupo Teca segue investindo na pesquisa sobre a produção artística para infâncias e adolescências, com artigos publicados em sites e revistas acadêmicas e participação através de comunicação oral no V Foro de Investigadores e críticos em arte para a Infância e Juventude, em Buenos Aires. Em outubro desse ano, estreiam um novo espetáculo imersivo para bebês e crianças da primeira infância: Gromelôs e Garatujas. Este espetáculo fez temporada entre outubro e novembro e foi indicado ao Prêmio Braskem de Teatro, na categoria Melhor Espetáculo Infanto-Juvenil, cuja cerimônia de Premiação acontecerá em maio de 2019.

Em 2019, o Grupo segue com seus projetos de pesquisa e intercâmbio com outros grupos e produtores de arte para a infância, investe na participação de Festivais Internacionais e prepara seu novo espetáculo. sob a direção de Osvaldo Rosa: O Poderoso de Marte, com estreia prevista para abril.

Leve a informação até os seus amigos! Curta e compartilhe!
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page